Administradora de condomínios - Lar.app

7 dicas para reduzir custos no condomínio


Postado em 28/10/2020

De acordo com um levantamento 95% dos custos anuais de condomínios brasileiros são recorrentes. Os custos recorrentes, também conhecidos como despesas ordinárias incluem pagamento de funcionários, próprios e terceiros, despesas comuns, como água, luz e gás, manutenção de equipamentos, entre outros.

Neste cenário, encontramos encontramos uma grande oportunidade de mudança. Com uma gestão de condomínio eficiente, é possível reduzir custos e transferir o investimento para outras áreas do condomínio, visando a valorização do imóvel.

Pensando nisso, preparamos 7 dicas para você diminuir gastos no condomínio agora mesmo. Confira!

Gastos com despesas comuns

O investimento nas despesas comuns, que incluem água, luz e gás, representam uma considerável parcela dos gastos recorrentes em condomínios. Se não controlados com firmeza, esses recursos podem resultar em problemas no caixa. E, sem dúvidas, passam a ser refletidos em aumento das taxas condominiais.

1 - Individualização de gás e água

A realidade de alguns condomínios, principalmente os mais antigos, é que o consumo total de água e gás ainda é dividido entre as unidades. Assim, quem mora sozinho é responsável pelo mesmo percentual de quem tem uma família de 6 pessoas, por exemplo. Por isso, a individualização desses recursos é extremamente importante. Além de aumentar a sensação de autonomia e controle dos moradores, resulta em economia.

Com a individualização, cada casa ou apartamento se torna totalmente responsável pelo pagamento do seu consumo. Nesse sentido, as pessoas se tornam mais conscientes sobre os próprios gastos, resultando em uma diminuição nos custos.

Em nosso blog, já falamos sobre individualização de água em condomínios, não deixe de conferir!

2 - Faça manutenções preventivas

Se você trabalha em um condomínio há algum tempo, provavelmente já percebeu que as obras de reparação são extremamente caras. Quando levamos muito tempo para solucionar um problema, as consequências são complexas.

Nesse sentido, a manutenção preventiva de todos os sistemas do empreendimento, além de contribuir para o aumento da segurança de condôminos e funcionários, te faz gastar menos. Por isso, síndico e zelador devem fazem acompanhamentos constantes, como em rondas semanais.

Nas ocasiões, verifique o funcionamento de todos os elevadores, procure vazamentos e investigue a efetividade da bomba de água. Tornando essas vistorias rotina, você evita a grande maioria de obras de grande porte, eliminando custos que surpreendem ao final do mês.

Gastos com pessoal

Segundo o Secovi, Sindicato da Habitação, a folha de pagamento é a grande campeã nos gastos dos condomínios. Inclusive, em alguns casos, se aproxima da marca de 70% das despesas mensais desses empreendimentos. Por isso, é de extrema importância acompanhar de perto esse investimento a fim de enxugar gastos e garantir a otimização do empreendimento.

Para a nossa sorte, existem alguns segredos para reduzir custos na gestão de funcionários!

3 - Acompanhe as horas extras

Poucos minutos por dia podem parecer bobagem, mas ao final do mês chegam a representar uma grande despesa ao condomínio. Sendo assim, analise atentamente as horas extras dos seus funcionários. Quando esse número aumenta, principalmente quando é acompanhado por adicionais noturnos, o investimento passa a ser alto.

Por isso, se essa situação é corriqueira em seu condomínio, atue imediatamente na questão. A frequência de horas extras pode, inclusive, justificar a contratação de outra pessoa com um salário inferior à esse montante, o que diminui custos, sem colocar em risco o bom funcionamento do prédio.

Outra dica importante é: se as horas extras são altas e fica difícil acompanhá-las no dia a dia, a melhor saída é contratar um sistema de ponto eletrônico. Assim, a jornada de zelador, equipe de limpeza, jardineiro e porteiros fica controlada. Dessa maneira, horas extras desnecessárias chegam a um fim.

4 - Faça revisões constantes

Revisar constantemente a atuação do quadro de funcionários e o funcionamento das escalas de trabalho pode resultar na redução das despesas com pessoal. Em alguns casos, é possível que seu condomínio tenha mais funcionários do que o necessário.

Essa análise é extremamente importante e deve ocorrer, no mínimo, uma vez por semestre. Assim, você se certifica de que o condomínio está funcionando da forma adequada, sem o fantasma dos custos desnecessários.

Gastos com gestão ineficiente

Além dos custos de pessoal e despesas comuns, em alguns condomínios, é possível encontrar alguns aspectos que podem ser melhorados. Ao aperfeiçoar as questões que trataremos a seguir, você consegue gastar menos e otimizar a gestão do seu prédio.

5 - Lute contra a inadimplência

Se no passado a inadimplência era vista como uma situação crônica nos condomínios, agora deve ser tratada com mais firmeza. A mudança do novo Código de Processo Civil Brasileiro resultou na diminuição do prazo para quitação de parcelas atrasadas.

A primeira sugestão é analisar os argumentos na convenção e  do seu condomínio sobre a inadimplência. Em seguida, procure o responsável pela unidade em atraso e tente fazer um acordo.

6 - Calcule os gastos com fornecedores...

Os fornecedores do condomínio não representam a maior parcela dos gastos em condomínios. Porém, isso não significa que devem ser desconsiderados no corte dos custos do seu empreendimento. A dica principal é fazer cotações muito detalhadas e com diferentes parceiros. Isso ajuda a economizar, evitando gastos desnecessários.

7 - ...e exija a máxima eficiência da sua administradora

Não adianta nada seguir todas as dicas desse post e apostar em uma administradora de condomínios ineficiente. Afinal, essa empresa deve ser a sua parceira e precisa pensar da mesma forma que você. Ou seja, sua administradora não deve desejar gastar mais com você, mas deveria te mostrar como usar seus recursos de forma mais inteligente. Assim, todos ganham, não é mesmo?

O problema de algumas dessas empresas é a falta de transparência. Afinal, em uma prestação de contas feita em centenas de páginas, fica difícil ficar a par de tudo que está acontecendo, Além disso, algumas administradoras cobram dezenas de taxas extras, incluindo custos com entregas e impressão!

Redução de custos em condomínios: o caminho para a eficiência

Como você pôde ver, a redução de custos em condomínio auxilia a gestão, traz mais controle sobre o empreendimento, melhora a vida de todos que vivem na comunidade e em longo prazo, também valoriza o patrimônio.

Ficou curioso para saber mais sobre o tema? Em nosso Guia da Redução de Custos, separamos mais 8 dicas para você aplicar agora no seu condomínio. Basta clicar aqui e acessá-lo agora mesmo!

Não deixe de compartilhar esse post com sua rede e continuar acompanhando os conteúdos do blog da LAR.app!