Imagem do Post

Síndico, veja aqui como declarar imposto de renda


Postado em 25/11/2019

Como declarar imposto de renda pode parecer complexo, às vezes, a atividade pode se tornar um bicho de sete cabeças. Afinal, qualquer erro do contribuinte pode resultar na temida malha fina da Receita Federal. Desse modo, o síndico de primeira gestão tem de redobrar a atenção para não ter de prestar contas ao “Leão”.

Preencher o formulário com cautela, revisar todos os dados e organizar os documentos para eventual comprovação futura são alguns dos passos necessários de uma declaração de imposto de renda perfeita. A fim de conhecer todos os outros detalhes, confira nossas dicas abaixo:

Como declarar imposto de renda: pontos de atenção

Se você é síndico profissional e recebe isenção do condomínio, é preciso declarar esses ganhos, mesmo que indiretos, em seu imposto de renda. O programa Carnê-Leão calcula automaticamente o valor do imposto mensal que deve ser pago até o último dia útil de cada mês.

Os ganhos e isenções recebidos pelo síndico, como dispensa do pagamento do condomínio, são considerados rendimentos tributáveis. Assim, se ultrapassarem o limite de isenção mensal de R$1.903,98 estão sujeitos ao pagamento de imposto de renda.

É importante ressaltar que, no caso de síndicos, a remuneração recebida por meio de isenção, pró-labore ou ajuda de custo devem ser interpretados como rendimentos tributáveis e considerados para fins de cálculo.

Por exemplo, vamos supor que um síndico recebeu a isenção de um salário mínimo mensal para administração de condomínio. Esse montante deve ser adicionado ao rendimento mensal do profissional e a somatória desses rendimentos não devem ultrapassar o limite de isenção mensal destacado acima.

Montamos um passo a passo como declarar Imposto de Renda do Síndico:

1 - Separe a documentação

Tenha seus documentos separados antes de começar, pois você precisará ter em mãos informes de rendimentos da empresa em que trabalha, de instituições financeiras e de outras rendas recebidas no ano passado.

2- Selecione "Declaração"

Ao entrar no sistema, escolha a opção “Declaração de ajuste anual”. A outra opção (retificadora) é para quem vai fazer uma correção em declaração já enviada.

3 - Informe seus dados cadastrais...

Preencha primeiro seus dados pessoais. O síndico também precisará informar o número do recibo da declaração entregue no ano anterior, o número do título eleitoral e a sua ocupação.

4 - ...e os rendimentos

Tudo que é informado pelas fontes pagadoras (empregador) e instituições financeiras (bancos e outros) precisa fazer parte da declaração de imposto de renda. Caso contrário, você corre o risco de cair na malha fina.

5 - Inclua bens e direitos

Aplicações financeiras, saldo em conta corrente do banco e bens como imóveis e veículos devem ser informados nesta ficha.

6 - Pagamentos efetuados

Os gastos com despesas dedutíveis e que podem ser comprovadas, como pagamentos com saúde e educação, devem ser declarados no imposto de renda. Porém, lembre-se de que é preciso informar o CNPJ ou CPF da instituição ou do profissional.

7 - Verifique pendências

Utilize este botão caso algum campo obrigatório não tenha sido preenchido, assim o próprio programa verificará o que precisa ser corrigido.

8 - Selecione seu modelo

Neste passo é preciso escolher o modelo de tributação: por deduções legais, a chamada completa, ou por desconto simplificado. Porém, pode ficar tranquilo. O próprio programa indica a opção mais vantajosa para o contribuinte.

9 - Insira uma conta para a restituição

Para os síndicos (contribuintes) com direito à restituição, o sistema pede que seja informado o banco, a agência e conta corrente para o depósito. Já para o síndico que tiver imposto a pagar, pode optar em parcelar.

10 - Agora é só entregar!

Por fim, basta clicar em “Entregar Declaração”, no canto esquerdo inferior da tela. A declaração é salva automaticamente. Para mais detalhes e download do programa do IRPF, acesse o site oficial da Receita Federal.

Compartilhe esse post nos botões das redes sociais ao lado!